Os indicadores de performance operacionais são os mais adequados para acompanhar o desempenho da empresa. Fundamentais para tomar boas decisões.

Conheça os 5 principais indicadores de performance operacionais

Acompanhar o desempenho da empresa é fundamental para entender o cenário atual e tomar boas decisões. É a partir dessa visualização que é possível encontrar gargalos e definir os melhores planos de ação. Para verificar como o empreendimento atua, os indicadores de performance operacionais são os mais adequados.

Esses elementos apontam como o negócio tem atuado e qual é o desempenho dos principais processos. Para uma PME, fazer a análise desses resultados é determinante para conquistar competitividade e destaque no mercado.

Para saber quais são os elementos que exigem maior acompanhamento, veja 5 indicadores de performance operacionais que você deve conhecer.

1. Ticket médio

Já que o faturamento é importante para a parte operacional do negócio, o ticket médio é um indicador que não deve ser ignorado. Ele corresponde à relação entre o faturamento total e o número de clientes em um período.

Se o empreendimento vendeu R$ 20 mil em um mês para 250 compradores, então o ticket médio é de R$ 80,00. Valores elevados significam que as pessoas estão gastando mais. No entanto, é preciso conhecer o preço médio dos produtos vendidos pela PME.

2. Custo de aquisição do cliente

Para captar um consumidor, a empresa precisa realizar esforços e investimentos de vários tipos. É necessário, por exemplo, investir em divulgação e na capacitação do time comercial.

Para conhecer o impacto financeiro de cada oportunidade, o custo de aquisição do cliente (CAC) é essencial. A métrica relaciona os gastos voltados para a conquista de consumidores e o total de pessoas convertidas no período. Uma campanha de R$ 10 mil e que atraiu 100 clientes, por exemplo, teve um CAC de R$ 100,00.

Ele deve ser o menor possível e também tem que ser avaliado junto do ticket médio. Se o CAC é de R$ 100,00 e o ganho médio é de R$ 300,00, o valor pode ser adequado. Se o mesmo CAC é aliado a um ticket de R$ 80,00, então há prejuízo operacional.

3. Taxa de conversão

Considerada uma das principais métricas, indica a proporção de pessoas que realizaram uma ação desejada pelo negócio. O cálculo é simples e inclui a relação entre o número de pessoas que converteram e o total de indivíduos abordados. Se 5 mil pessoas foram atingidas e 300 converteram, a taxa é de 6%.

Apesar de ser muito usada para avaliar o volume de vendas, também indica outras ações desejadas pelo negócio. O número de pessoas que oferecem seu contato e que se tornam leads, por exemplo, pode ser calculado pela taxa de conversão. Quanto maior for o resultado, melhor é a efetividade do empreendimento.

4. Compras recorrentes

Tão importante quanto adquirir novos clientes é manter os consumidores por perto. Quando o negócio é bem-sucedido na tarefa, há custos menores e um desempenho otimizado. Para ter uma visão do cenário, um dos indicadores de performance operacionais é o volume de compras recorrentes no período.

Se o empreendimento fez 500 vendas no mês e 50 delas foram de clientes que já compraram antes, então houve 10% de compras recorrentes. Um índice elevado significa que há fidelização e satisfação. No entanto, quanto mais perto estiver de 100%, maior é a indicação de que há uma falha em captar novas pessoas e expandir o mercado.

5. Taxa de rejeição

Também chamada de churn, a taxa de rejeição indica como os consumidores se comportam sobre o negócio. Para empreendimentos de assinatura e mensalidade, a taxa de rejeição corresponde ao número de quem deixa a empresa em relação ao total de clientes.

No ambiente digital, é algo ligado ao tráfego dos sites. A taxa de rejeição de um e-commerce, por exemplo, corresponde ao número de pessoas que abandonam as páginas em poucos segundos. O ideal é reduzir esse número ao menor possível, pois isso significa melhor aproveitamento de oportunidades e maior fidelização.

Com os indicadores de performance operacionais adequados, dá para acompanhar os resultados do seu negócio e torná-los melhores. Ao final, ficará muito mais fácil chegar ao sucesso.

Para melhorar esses e outros valores, apostar na tecnologia é uma boa saída. Veja como a automação de processos beneficia a empresa e saiba mais sobre a possibilidade!


Deixe uma resposta